A REGIÃO

A Região das Matas de Minas é uma origem produtora
de cafés especiais, composta por 63 municípios,
situada em uma área de Mata Atlântica, no leste do
Estado de Minas Gerais.

Nossa produção é naturalmente sustentável, marcada
pela predominância da agricultura familiar, pelo impacto econômico e social direto e indireto e integração natural entre o homem e a mata, fatores culturais presentes na cafeicultura da nossa região.

Somos pioneiros no que chamamos de qualidade artesanal, o trabalho manual e técnicas desenvolvidas pelos produtores da região para se produzir alta qualidade.
O resultado deste trabalho é uma diversidade de nuances
e sabores diferenciados, presentes nos nossos cafés,
que hoje se destacam nas principais premiações nacionais
e internacionais.

 

DADOS DA REGIÃO

  • Municípios 63
  • Localização Leste do Estado de Minas Gerais
  • Área de produção 275 mil hectares
  • Produtores 36 mil (80% possuem menos de 20 hectares plantados)
  • Empregos diretos 75 mil
  • Empregos indiretos 156 mil

 

QUALIDADE ARTESANAL

Nossos cafeeiros são da variedade Arábica e cultivados
em áreas de topografia montanhosa e irregular, em
altitudes que variam entre 600 e 1.200 metros.

O clima ameno do território, aliado à evolução tecnológica
dos processos artesanais desenvolvidos na região,
resultam em cafés de qualidade artesanal e uma
diversidade de sabores e nuances.

CARACTERÍSTICAS DOS CAFÉS DA REGIÃO

  • Corpo
    De encorpado a muito encorpado
  • Aroma
    Intenso, com notas florais e cítricas
  • Sabor
    Adocicado, com diversidade de sabores cítricos, caramelado e achocolatado
  • Finalização
    Agradável e prolongada
  • Acidez
    Delicada e equilibrada

COMO ESTAMOS ORGANIZADOS

A Região das Matas de Minas é regulamentada pelo:

CONSELHO DAS ENTIDADES DO
CAFÉ DAS MATAS DE MINAS

Somos uma organização sem fins lucrativos, de caráter
representativo, científico, educacional e cultural, formada
por entidades membros e parcerias voltadas ao
desenvolvimento dos cafeicultores, nos 63 municípios
que compõem a área demarcada da região.

NOSSO PROPÓSITO NOSSOS PILARES MEMBROS E PARCERIAS

NOSSO PROPÓSITO

Desenvolver, proteger e promover a qualidade
artesanal, a diversidade, e a sustentabilidade
natural da produção de cafés, tendo sempre
como objetivo o desenvolvimento sustentável
coletivo da Região das Matas de Minas.

NOSSOS PILARES

  • QUALIDADE ARTESANAL

    Desenvolver e valorizar a
    diversidade e a qualidade artesanal
    na produção de cafés na região das
    Matas de Minas, disseminando
    conhecimento e capacitação para
    os nossos produtores.

  • SUSTEN-
    TABILIDADE NATURAL

    Incentivar a integração natural
    entre o homem e a mata,
    promovendo de forma cultural
    a sustentabilidade natural da
    produção de cafés na região.

  • DESEN-
    VOLVIMENTO COLETIVO

    Trabalhar juntos, em parceria,
    promovendo a força do coletivo,
    gerando valor para nossa produção
    e desenvolvimento sustentável para
    sociedade e os negócios da região.

MEMBROS E PARCERIAS

ACIAM
Manhuaçu e Região

Coocafé

Lajinha e Região

Sicoob Credicaf

Lajinha e Região

Sicoob Credisudeste 
Muriaé e Região 

Sicoob União
Raul Soares e Região 

Sicoob Credilivre
Manhuaçu e Região

Sindicato Rural
Manhuaçu e Região

Sindicato Rural
Manhumirim e Região

Sindicato Rural
Lajinha e Região

Sicoob CredCooper
Caratinga e Região

Sindicato Rural
Caratinga e Região

Sindicato Rural
Luisburgo e Região

SCAMG
Manhuaçu e Região

Hanns R. Neumann Stiftung do Brasil
Manhuaçu e Região

PARCEIROS:

CORPOL
EMATER
EPAMIG
FAEMG

IWCA
Prefeitura Municipal de Luisburgo

Prefeitura Municipal de Manhuaçu
SEBRAE

SENAR
UFV

NOTÍCIAS

12/04/2017
CAFÉ DAS MATAS DE MINAS DOMINA DISCUSSÕES DO SEGUNDO DIA DO SIMPÓSIO DE CAFEICULTURA

O segundo dia do Simpósio de Cafeicultura foi dedicado à divulgação dos padrões dos cafés das Matas de Minas, bem como o uso de tecnologia e informação a favor do agronegócio. A parte da manhã reuniu três palestras com foco técnico sobre a produção cafeeira. Durante a tarde da quarta-feira, 05/04, um painel discutiu mercado e qualidade dos cafés especiais. Toda a programação foi elaborada pelo Conselho das Entidades do Café das Matas de Minas.

CAFEICULTURA DE PRECISÃO

O Professor Daniel Marçal de Queiróz - Universidade Federal de Viçosa – apresentou mecanismos que estão sendo utilizados na Agricultura de Precisão aplicada à Cafeicultura

 “Considerando a diferença dos terrenos montanhosos da região, a técnica da cafeicultura de precisão consiste em gerenciar as lavouras considerando que elas não são uniformes e, a partir desta consciência, elaborar estratégias para otimizar a produção, reduzindo os custos com insumos e aumentando a produtividade. O objetivo não é alcançar uniformidade, é melhorar cada área, colocar mais onde precisa mais e menos onde precisa menos”, explica o professor.

O professor ainda mostrou ferramentas que estão sendo utilizadas para a tomada de decisão das ações que serão aplicadas em cada local da lavoura. Com o mapa de fertilidade, o produtor sabe onde ele deve aumentar os insumos e onde a terra já é fértil. Ele consegue ter uma visão ampla e detalhada da sua propriedade.

Os objetivos principais são a redução de custos, com a economia de insumos, já que eles só serão aplicados nas áreas onde há real necessidade, e o aumento de produtividade a longo prazo.

O professor Daniel Marçal acredita na aplicação da tecnologia na região e deixou claro que os números de produtividade só vão começar a crescer a partir das estratégias de ação tomadas pelo produtor. “Não é um resultado imediato e sim fruto de trabalho e análise do local”, pontuou.

MAPA DA QUALIDADE

A segunda palestra foi justamente para apresentar as características sensoriais dos cafés das Matas de Minas, com o professor Samuel de Assis Silva - Universidade Federal do Espírito Santo.

Ele mostrou os resultados do mapeamento da qualidade do café das Matas de Minas, realizado desde 2013. O estudo mostrou a qualidade sensorial do café produzido em diversas alternativas dos microclimas prevalecentes. Os resultados mostraram que o relevo irregular das Montanhas das Matas de Minas proporciona microclimas especiais, onde os cafeicultores, usando tecnologias predominantemente manuais, são artesãos aliados da natureza favorável na produção de cafés de alta qualidade e identidade distinta, com a predominância de cafés com doçura acentuada, acidez equilibrada, encorpado, aroma floral e diversidade de sabores cítricos e achocolatados.

 “O estigma de café rio zona não procede mais. O que existe é café de excelente qualidade nas Matas de Minas”, resumiu.

A terceira palestra também foi uma aula sobre informação aplicada ao campo. A previsão climática para a estação chuvosa 2017/2018 foi o tema do professor Ruibran Januário dos Reis - Climatologista, PUC Minas – Climatempo.

PAINEL

Durante a parte da tarde, o tema cafés especiais foi alvo de um amplo debate num painel de Qualidade & Mercado.

Os dois assuntos foram integrados no diálogo promovido pela Tecnóloga em Alimentos / Mestre de Torra com Classificação e Degustação de Café, Paula Dulgheroff.

Os resultados e o panorama da Produção Regional e do Mercado para Cafés de Origem Controlada, com o projeto do Café das Matas de Minas, foram apresentados pelo Consultor de Cafés Especiais Sérgio Cotrim DAlessandro.

 

Autor: Carlos Henrique Cruz

CONTATO

Ficou interessado em nossos cafés?
Quer fazer parte da nossa equipe?
Alguma dúvida?

Entre em contato conosco.
info@matasdeminas.org.br

 

Quer utilizar nossa marca em seu evento?
Clique aqui e preencha o formulário.

 

FORMULÁRIO DE REQUERIMENTO PARA USO INSTITUCIONAL DA MARCA "REGIÃO DAS MATAS DE MINAS"